Domingo, 18 de Abril de 2004

A revogação do Nunca

Das frases que mais fujo e evito é, precisamente, a irritante "nunca digas nunca". É frase que não é bonita, é desarranjada foneticamente e, na maioria dos casos, aquando ouvida, deita por terra toda uma série de argumentos que, em tempos, foram convicções, o que é humilhante e desnecessário. Se, por um lado, considero mais que certo o risco que há em se dizer "nunca", acredito, por outro lado, ser absolutamente necessário ter a convicção de que "NUNCA" mesmo! É preciso é existirem as razões certas.



Está a escrever uma miúda – eu – que já passou por isto alguma vezes e algumas vezes tomou este recuo, este erase and rewind, ou coisa que o valha, como uma coisa má, reveladora de uma falta de precisão, de coerência, de princípios e de, principalmente, carácter. Hoje, não acho que seja nada disso, pá! Acho bonita a capacidade humana do "afinal não é nunca, é mesmo assim, pelo menos hoje". Até pode ser por descargo de consciência, mas acho bonito mesmo.



"Eu nunca mais farei ou direi ou sentirei tal coisa", "eu nunca mais falarei com x" ou contundências como "eu nunca mais apertarei a mão a nenhum membro do governo x, que por acaso é o governo vigente, por ter, em 1992, excluído o meu livro" fazem todo o sentido naquele momento e é bom que sejam proferidas com muita força e crença absoluta. Urra! Mas se depois se reúnem todas as condições para deixar de o ser assim, só faz sentido passarmos à frente para outra convicção ainda mais lindinha.



Então não é tão precisa e humana e crescida e valente esta revogação do nunca? Eu adoro...



publicado pela batukada às 19:54
link do post | comentar

E-mail

batukada_ms@hotmail.com

Gira-discos 'sebem

Aprecie o silêncio

Arquivos

Maio 2012

Janeiro 2012

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Maio 2010

Abril 2010

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

blogs SAPO