Domingo, 25 de Julho de 2004

Em memória das vespas e dos abelhões que jazem mortos em vários pontos do meu jardim – raisparta o c

.





Nestes dias intitulados "meu deus! mais um bocadinho e diria que nunca vi tanto calor junto na minha vida", é impossível que, no desespero das ondas queimantes, não se nos acerque à otomemória aquela música cantada pela Né Ladeiras. Aquela, escrita pelo Pedro Ayres de Magalhães. Para quem não sabe, a Né Ladeiras participou, aos seis anos de idade, no Festival dos Cantores da Figueira da Foz. Sim, sim.

E cantava aquela música tão gira e fresca e amorosa. Fresquinha que só visto.



Aquela do “na frescura, que tremor... lailailai”.



Muito bom, muito bom.



Ainda que o que se ouça cá em casa seja de tal forma tão completamente diferente do que enunciei, que até arrepia.

publicado pela batukada às 23:13
link do post | comentar

E-mail

batukada_ms@hotmail.com

Gira-discos 'sebem

Aprecie o silêncio

Arquivos

Maio 2012

Janeiro 2012

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Maio 2010

Abril 2010

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

blogs SAPO