Quinta-feira, 29 de Julho de 2004

Quando eventualmente crescesse, queria, basicamente, ser como a Yen Sung

.





Uma das mulheres mais bonitas e talentosas do nosso País. Hoje, no Lux.
publicado pela batukada às 15:19
link do post | comentar

Anyway the wind blows

.





O Tom Barman realizou um filme , e eu vou ver.



É.
publicado pela batukada às 11:43
link do post | comentar
Quarta-feira, 28 de Julho de 2004

É bom ter um apoiozinho

.

"Exercício de conversação



(...)

- Mas como eu ia dizendo...

- Qué lá isso?!... Eu é que posso e devo dizer como eu ia dizendo.

- Ah! eras tu? Então, diz.

- A vontade é o principal atributo do Homem.

- Também me parece.

- Nas relações humanas, human relations, public relations, a vontade é a grande arma.

- Já o disseste.

– Mas repito.

- Sou toda ouvidos.

- Achas-me cara de parvo? Bem te vi ontem.

- Viste?

- Vi. Com o...

- Sim?

- Sim. Julgas que sou parvo?

- É o que te pergunto.

- Não tens nada que perguntar. Tens de responder.

- Não sou tua escrava.

- Nem eu queria. Sou democrata. A democracia é...

- Não sei o que é.

- Devias sabê-lo... vivendo comigo.

- Nunca dei por isso.

- És parva.

- Fui.

- Mas como eu ia dizendo, quem tudo quer tudo pode. E daqui, devias concluir...

- É o que eu gostava de saber.

- A tua conversa de anteontem, com o 914.

- Não foi anteontem.

- Ou ontem.

- Não era o 914.

- Irra! tanto faz. Isso são pormenores... A história, a pequena história sentimental ou dos sentimentos, não é uma ciência exacta.

- Julgava que sim. Julgava que era a única coisa exacta que havia, a única verdadeiramente bela, nobre, interessante, etc.

- Pensas como mulher."





Luiz Pacheco, Exercícios de Estilo.



publicado pela batukada às 21:20
link do post | comentar
Domingo, 25 de Julho de 2004

Em memória das vespas e dos abelhões que jazem mortos em vários pontos do meu jardim – raisparta o c

.





Nestes dias intitulados "meu deus! mais um bocadinho e diria que nunca vi tanto calor junto na minha vida", é impossível que, no desespero das ondas queimantes, não se nos acerque à otomemória aquela música cantada pela Né Ladeiras. Aquela, escrita pelo Pedro Ayres de Magalhães. Para quem não sabe, a Né Ladeiras participou, aos seis anos de idade, no Festival dos Cantores da Figueira da Foz. Sim, sim.

E cantava aquela música tão gira e fresca e amorosa. Fresquinha que só visto.



Aquela do “na frescura, que tremor... lailailai”.



Muito bom, muito bom.



Ainda que o que se ouça cá em casa seja de tal forma tão completamente diferente do que enunciei, que até arrepia.

publicado pela batukada às 23:13
link do post | comentar

Alto!

O Elefante não gosta de caracóis. Contudo e não obstante, tem um blogue novo para lá de megagiro e, ainda por cima, tem-no a solo. A solo, sim! Muito, muito bom.



A reter: Pitau Raia. And let the great words begin!



publicado pela batukada às 23:04
link do post | comentar
Sexta-feira, 23 de Julho de 2004

Cry, cry for you

.







«E já ficarei muito orgulhoso se, daqui a muitos anos, puder ser entendido como um compositor que se integrava bem nos acontecimentos desta época...»





Carlos Paredes, 1925-2004.

publicado pela batukada às 10:13
link do post | comentar
Quinta-feira, 22 de Julho de 2004

Desabafo de última hora





publicado pela batukada às 23:08
link do post | comentar
Terça-feira, 20 de Julho de 2004

Levanta-te e anda, mulher. Faz-te à vida, vá.

    

[diálogo possível, dadas certas e determinadas circunstâncias]



     - Tudo bem? [transeunte]


     - Bem, obrigada. [batukada]

     - Mas mesmo? [transeunte]

     - Bom, vai-se andando. Melhorzita, digamos. [batukada]

     - Recuperaste, já vi. [transeunte

     - Não, não. De maneira nenhuma, isso nunca. [batukada]  

  



publicado pela batukada às 09:01
link do post | comentar
Quinta-feira, 15 de Julho de 2004

Tss tss (IV)

De repente, deu-lhes a todos para andarem a fazer para aí um ano. Ó camandro, ó catano*. Até o carne, céus... Até o carne.



Megamaisanos de blogovida para esta gente toda, catano.





*cortesia mano.
publicado pela batukada às 12:50
link do post | comentar
Quarta-feira, 14 de Julho de 2004

batukada com um sorriso de orelha a orelha. sorriso esticadão, portanto.

"Butterflies are professional mood swingers"



Obrigada, querida Ana!
publicado pela batukada às 23:39
link do post | comentar
Terça-feira, 13 de Julho de 2004

Let there be a light (5) – attention, attention!

Os Gatos Fedorentos ameaçam voltar às lides bloguísticas. Praise the Lord!



E o dia começa bem...
publicado pela batukada às 10:37
link do post | comentar
Segunda-feira, 12 de Julho de 2004

Barroquinho diz-me tu

Por outro lado, estes tempos trazem o objecto enviesado que plana suspenso aos pés dos Embaixadores do Holbein à memória de pobres cérebros, como este que agora escreve. Aquele objecto estranho – que se desvenda no momento em que se estiver posicionado do lado direito desta gigante maravilha, e a olhar para a esquerda, como quem espreita receando o que vai ver – convive com dois seres imponentes, ainda que meio amedrontados. Angustia a curiosidade do mais impávido e inerte possível, esta obra.







E que pena se nos invade quando o mistério é desvendado... A emoção fervilhante da segunda vez que se olha para este quadro não será, com certeza, idêntica à da primeira, mas a angústia, essa, está sempre lá.



Carregadinho de simbologia, é o que é.

publicado pela batukada às 23:29
link do post | comentar

Santanetes e pauletetes – Vive la fête II

Nestes tempos de desesperança – agora mais presentes do que nunca – em que vivemos, chegam-nos novas sintonias, novos arranjos florais, musicais e culturais, como que a gritar clemência. Clemência por um mundo menos previsível e abafado. As letras amontoam-se em palavras nunca dantes vistas. As mentes buscam novas histórias em reviravoltas pujantes, ou ficam-se pelo plano seguro. O segundo. O plano por onde todos passámos, que todos tocámos. Cá de mim, estou assim: plana; ciente de que é neste país de santanas e pauletas (estou do lado do nosso PR, como é óbvio) que me encontro e situo.

Está, pois, na altura de abrir alas aos planos Pulp. Faz falta, creio eu, voltar a agarrar as desgraças acnenorreicas que estes secos e branquelas conseguem amofinar, transformando-as em coisas meio sérias, ainda que cheias de piada... O que faz bem, pois claro. Atentar nos “alright” e nos “yeah”. Vale a pena, vale a pena.



Well it happened years ago, when you lived on Stanhope Road.

We listened to your sister when she came home from school,

'cos she was two years older and she had boys in her room.

We listened outside and heard her.

Alright. Well that was alright for a while but soon I wanted more.

I want to see as well as hear and so I hid inside her wardrobe.

And she came round four and she was with some kid called David from the garage up the road.

I listened outside I heard her.

Alright. Oh I want to take you home.

I want to give you children. You might be my girlfriend, yeah yeah yeah yeah yeah yeah.




“Babies”, do álbum His'n'Hers



Yeah yeah yeah yeah...



Ligeiro apontamento: fiquei tranquila com a retirada lamecha do Ferro Rodrigues, ainda que tal bacoquice seja completamente irrelevante para esta sensação que aqui queria deixar.

publicado pela batukada às 23:12
link do post | comentar

Ode ao amor – os cem anos de Neruda





Para que tú me oigas,

mis palabras

se adelgazan a veces

como las huellas de las gaviotas en las playas.



Collar, cascabel ebrio

para tus manos suaves como las uvas.



Y las miro lejanas mis palabras.

Más que mías son tuyas.

Van trepando en mi viejo dolor como las yedras.



Ellas trepan así por las paredes húmedas.

Eres tú la culpable de este juego sangriento.



Ellas están huyendo de mi guarida oscura.

Todo lo llenas tú, todo lo llenas.



Antes que tú poblaron la soledad que ocupas,

y están acostumbradas más que tú a mi tristeza.



Ahora quiero que digan lo que quiero decirte

para que tú me oigas como, quiero que me oigas.



El viento de la angustia aún las suele arrastrar.

Huracanes de sueños aún a veces las tumban.

Escuchas otras voces en mi voz dolorida.

Llanto de viejas bocas, sangre de viejos súplicas.

Ámame, compañera. No me abandones. Sígueme.

Sígueme, compañera, en esa ola de angustia.



Pero se van tiñendo con tu amor mis palabras.

Todo lo ocupas tú, todo lo ocupas.

Voy haciendo de todas un collar infinito

para tus blancas manos, suaves como las uvas.





Em 20 Poemas de Amor y Una Canción Desesperada.
publicado pela batukada às 10:11
link do post | comentar
Quinta-feira, 8 de Julho de 2004

And when life gets you down, strike a pose








Take the Which Madonna Video Are You quiz.



Tinha de fazer este...



(via Charlotte, por sua vez, via Ana, por sua vez, via uma data deles)



publicado pela batukada às 13:31
link do post | comentar

Por uma política social mais social

.

Sampaio, amigo, não fiques caladinho!

publicado pela batukada às 13:21
link do post | comentar
Quarta-feira, 7 de Julho de 2004

Ainda acordo de noite a gritar

"Tira o Pauleta, PORRA!"



Mais dois dias e voltará tudo ao normal. Tenho a certeza. Ámen.



publicado pela batukada às 10:51
link do post | comentar
Domingo, 4 de Julho de 2004

Exclamações justificadas - Episódio 2: Somos os maiores

Pois somos! Somos, somos! Todos, à excepção do Pauleta.



E agora é ter calma, porque há coisas bem piores e tal e tal. E somos os maiores! Somos! Todos, menos o Pauleta. Tira o Pauleta.

publicado pela batukada às 23:01
link do post | comentar
Quinta-feira, 1 de Julho de 2004

Sai a República Checa





Que pena, que pena, que pena...
publicado pela batukada às 22:53
link do post | comentar

Superstar team, here we go!

Bom, tenho de ir ali escarrapachar-me em frente ao televisor e ver a repetição do golo do Maniche, até que os olhos se me amiopiem. É só um minuto.





PS: POR-TU-GAL! POR-TU-GAL! ai...
publicado pela batukada às 10:02
link do post | comentar

E-mail

batukada_ms@hotmail.com

Gira-discos 'sebem

Aprecie o silêncio

Arquivos

Maio 2012

Janeiro 2012

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Maio 2010

Abril 2010

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

blogs SAPO