Quarta-feira, 2 de Junho de 2004

Dos pseudo-paralelismos

Toda esta conversa acerca de os paulos pedrosos terem sido, por ora, renegados pelos mestres em Assuntos Pedofilianos na Casa Pia (bem como as chocantes alegações, que vieram à praça pública, denunciadoras de um Sousa Franco calvo e portador de determinado tipo esquizofrénico de óculos, mas estas não se enquadram aqui) trouxe-me à mémoria uma série de televisão tão ou ainda mais excelsa que todos estes acontecimentos juntos, ainda que bastante aproximada* ao enredo.



Falo de V – a Batalha Final. Ora, e porquê? Pois bem: quando os terráqueos se aperceberam dos verdadeiros ímpetos dos reptilianos-pseudo-mansinhos, desataram à estalada a estes animais. De tal forma foi a questão que até a respectiva pseudo-pele nívea se lhes começava a saltar, denunciando o verde gelatinoso, bem húmido e genuíno que realmente - e ao contrário do que toda a gente pensava - os caracterizava. Inclusivamente, mais para o final da série (quando a tramóia já ia no caminho de ser resolvida), só se viam línguas viperinas e cuspideiras (fininhas e que se dividiam em dois na ponta) a sairem daquelas bocas inimigas (nojo). A partir daí, era fácil saber quem era réptil mauzão e quem era cândido bonzinho.



A verdade veio ao de cima, é certo, mas talvez tenha vindo tarde. Suficiente para a pobre Eleanor Dupres ter sido alvejada**, coitada. Provavelmente, se tivesse vindo ao de cima mais cedo, não teria, igualmente, nascido aquele espécime, mesmo no último episódio, loirinho e de olho azul com a tal língua dividida e cuspideira - quando toda a gente pensava que os animais já tinham sido todos varridos. Ninguém o topou, só nós, os outsiders.







«V – The Final Battle (1984) [Eleanor Dupres]: shot in the back with a ray-gun by Andrew Prine when she tries to run to the resistance fighters outside





É complicado, é complicado...





*ou paralela, se preferirmos.

**não sei se morreu, coitada.

publicado pela batukada às 21:24
link do post | comentar

E-mail

batukada_ms@hotmail.com

Gira-discos 'sebem

Aprecie o silêncio

Arquivos

Maio 2012

Janeiro 2012

Setembro 2011

Agosto 2011

Junho 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Maio 2010

Abril 2010

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

blogs SAPO